Postagens

A CADA DIA UM HINO E HISTÓRIA

ACOMPANHE NOSSO BLOG SEGUINDO-NOS

sábado, 24 de fevereiro de 2018

042-Saudai Jesus

042-Saudai Jesus

"Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome
que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho
dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse
que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai."
(Filipenses 2:9-11)

Letra : Edward Perronet, 1779
Música: Diadem, James Ellor, 1838
Tradução: H.M.W.

SAUDAI JESUS

1
Saudai o nome de Jesus!
Arcanjos, vos prostrai;
Arcanjos, vos prostrai;
Ao Filho do eterno Deus,
Com glória, glória,
Glória, glória,
Com glória, coroai!

2
Ó escolhida geração
Do bom eterno Pai,
Do bom eterno Pai;
Ao grande autor da salvação,
Com glória, glória,
Glória, glória,
Com glória, coroai!

3
Ó perdoados, cujo amor
Bem triunfante vai,
Bem triunfante vai,
Ao Deus Varão, Conquistador,
Com glória, glória,
Glória, glória,
Com glória, coroai!

4
Ó raças, tribos e nações,
Ao Rei dos reis honrai!
Ao Fiei dos reis honrai!
A quem quebrou vossos grilhões,
Com glória, glória,
Glória, glória,
Com glória, coroai!
ALL HAIL THE POWER OF JESUS’ NAME


1
All hail the power of Jesus’ Name! Let angels prostrate fall;
Bring forth the royal diadem, and crown Him Lord of all.
Bring forth the royal diadem, and crown Him Lord of all.

2
Let highborn seraphs tune the lyre, and as they tune it, fall
Before His face Who tunes their choir, and crown Him Lord of all.
Before His face Who tunes their choir, and crown Him Lord of all.

3
Crown Him, ye morning stars of light, Who fixed this floating ball;
Now hail the strength of Israel’s might, and crown Him Lord of all.
Now hail the strength of Israel’s might, and crown Him Lord of all.

4
Crown Him, ye martyrs of your God, who from His altar call;
Extol the Stem of Jesse’s Rod, and crown Him Lord of all.
Extol the Stem of Jesse’s Rod, and crown Him Lord of all.

5
Ye seed of Israel’s chosen race, ye ransomed from the fall,
Hail Him Who saves you by His grace, and crown Him Lord of all.
Hail Him Who saves you by His grace, and crown Him Lord of all.

6
Hail Him, ye heirs of David’s line, Whom David Lord did call,
The God incarnate, Man divine, and crown Him Lord of all,
The God incarnate, Man divine, and crown Him Lord of all.

7
Sinners, whose love can ne’er forget the wormwood and the gall,
Go spread your trophies at His feet, and crown Him Lord of all.
Go spread your trophies at His feet, and crown Him Lord of all.

8
Let every tribe and every tongue before Him prostrate fall
And shout in universal song the crownèd Lord of all.
And shout in universal song the crownèd Lord of all.

[John Rippon added this verse in 1787]9
O that, with yonder sacred throng, we at His feet may fall,
Join in the everlasting song, and crown Him Lord of all,
Join in the everlasting song, and crown Him Lord of all!
HISTÓRIA

O que o coro "Aleluia" (do oratório "Messias") é para o corista sacro, o hino "Saudai o Nome de Jesus" é para a congregação. "É preeminentemente o hino da coroação de Cristo, o Rei", conforme Erik Routley, distinto hinólogo, e "reúne toda a história sacra do seu louvor". As quatro estrofes existentes hoje (das oito originais) exortam a todos os arcanjos, escolhidos, perdoados, tribos raças e nações a coroá-lo. Nas outras estrofes originais também as estrelas da manhã, os serafins, os mártires e os herdeiros da linha de Davi foram convocados a entronizá-lo.

Edward Perronet publicou a primeira estrofe deste magnífico hino na Revista do Evangelho, de Toplady (autor de Rocha Eterna), em 1779, e as oito estrofes na mesma revista em 1780. Muitas vezes revisado e alterado, o hino aparece hoje com três das estofes de Perronet e a última estrofe de John Rippon, adicionada em 1787.

Uma das histórias mais dramáticas descrevendo a maneira que Deus tem usado este magnífico hino vem da Índia, contado pelo missionário E. P. Scott:

Na sua missão na Índia, Scott desejava evangelizar certa tribo no interior.  Foi prevenido que não deveria se aproximar desta etnia por ser ela muito feroz. Mesmo assim, na convicção que Deus estava lhe mandando, Scott entrou na região com muita coragem. Quando, por fim, alcançou a região montanhosa, encontrou-se com um grupo destes selvagens. Imediatamente, cercaram-no, apontando as suas lanças para ele com olhares malévolos. Não havia nada nas mãos de Scott além do seu violino. Então, fechando os olhos, começou a tocar e cantar Saudai o Nome de Jesus. Quando terminou, e abriu os seus olhos, esperava ser morto imediatamente. Com suas lanças caídas, [os selvagens] receberam-no primeiro com curiosidade e interesse, e então mais tarde com avidez, enquanto [o missionário] contou-lhes o evangelho, e ganhou as suas almas para Jesus Cristo.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

041 - A Cristo Adorai


A Cristo coroai! Que por nós encarnou,
E Deus, o Santo Deus e Pai, aos homens revelou.
Eis Sua compaixão! Eis Sua mansidão!
Quem vê a Cristo, vê ao Pai; sim, vê Seu coração.

A Cristo coroai! De tudo o Criador,
O Filho do eterno Deus, do mundo, o Salvador, Jesus Emanuel,
o grande Redentor!
Em busca dos perdidos, vem o nosso bom Pastor.

A Cristo coroai! Que sobre a cruz, ganhou
Por nós eterna redenção e para o céu voltou!
Ele é o Rei dos reis! O Príncipe da paz!
Jesus, da morte, o vencedor, que a Salvação nos traz.

A Cristo coroai! De todos o Senhor,
A quem a multidão dos céus aclama com fervor!
Eis o Cordeiro ali, que sobre o trono está!
Que vive e reina lá por nós, e cedo voltará

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

040 - A cidade do Bom Jesus

Que se diz dos teus encantos,
Ó cidade do bom Deus!
Que soberba te levantas
Entre as glórias desses céus,
Desde o mundo preparada
Para Cristo e para os Seus.

São de jaspe adamantino
Os teus muros, ó Sião!
São douradas essas ruas,
Que os remidos pisarão!
De celeste luz banhadas,
Refulgentes sempre estão!

Pelo próprio Deus fundada
Sobre a rocha secular
Quão seguras tuas portas!
Quem as pode ameaçar?
Igualmente, quão seguro
Quem por ela lá entrar!

Quão felizes são teus filhos,
Vendo a face do Senhor!
Nunca mais a tome sentem,
Nunca sentem mais a dor,
Com os anjos desfrutando
Pleno gozo, paz e amor!

O trono do Cordeiro,
Noite e dia, sem cessar
Corre o rio de água viva,
Para todos saciar!
Lá com Cristo, vão teus filhos,
Satisfeitos descansar!

Se, por Teu amor infindo,
De Sião eu filho for,
Zombe o mundo e escarneça,
Nada importa, Salvador,
Pois que do Teu gozo eterno
Mesmo aqui tenho o penhor!

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

039-Alvo mais que a neve

039-Alvo mais que a neve

"Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi,
e para os habitantes de Jerusalém,
para purificação do pecado e da imundícia."
(Zacarias 13:1)
Letra: Eden R. Latta, 1881
Música: Henry S. Perkins
Tradução: Henry Maxwell Wright

ALVO MAIS QUE A NEVEBLESSED BE THE FOUNTAIN
1
Bendito seja o Cordeiro,
Que na cruz por nós padeceu!
Bendito seja o Seu sangue,
Que por nós, ali Ele verteu!
Eis nesse sangue levados,
Com roupas que tão alvas são,
Os pecadores remidos,
Que perante seu Deus já estão!

Coro
Alvo mais que a neve!
Alvo mais que a neve!
Sim, nesse sangue lavado,
Mais alvo que a neve sere!


2
Quão espinhosa a coroa
Que Jesus por nós suportou!
Oh! Quão profundas as chagas,
Que nos provam quanto Ele amou!
Eis nessas chagas pureza
Para o maior pecador!
Pois que mais alvo que a neve,
O Teu sangue nos torna, Senhor!

3
Se nós a Ti confessarmos,
E seguirmos na Tua luz,
Tu não somente perdoas,
Purificas também, ó Jesus;
Sim, e de todo o pecado!
Que maravilha de amor!
Pois que mais alvo que a neve.
O Teu sangue nos torna, Senhor.
1
Blessed be the fountain of blood,
To a world of sinners revealed;
Blessed be the dear Son of God;
Only by His stripes we are healed.
Tho’ I’ve wandered far from His fold,
Bringing to my heart pain and woe,
Wash me in the blood of the Lamb,
And I shall be whiter than snow.

Refrain
Whiter than the snow,
Whiter than the snow,
Wash me in the blood of the Lamb,
And I shall be whiter than snow.


2
Thorny was the crown that He wore,
And the cross His body o’ercame;
Grievous were the sorrows He bore,
But He suffered Thus not in vain.
May I to that fountain be led,
Made to cleanse my sins here below;
Wash me in the blood that He shed,
And I shall be whiter than snow.

3
Father, I have wandered from Thee,
Often has my heart gone astray;
Crimson do my sins seem to me
—Water cannot wash them away.
Jesus, to the fountain of Thine,
Leaning on Thy promise, I go;
Cleanse me by Thy washing divine,
And I shall be whiter than snow.

COMENTÁRIO

Nesta petição muito pessoal ao Senhor, Davi reconhece que ele mesmo não pode, de maneira nenhuma, corrigir sua natureza pecadora. Somente o Deus que o criou pode purificá-lo, renová-lo e restaurá-lo. (...) Eu também preciso de uma obra profunda de Deus na minha vida. Como Davi, anseio por cirurgia radical espiritual-purificação, restauração, um coração lavado, o poder transformador do Espírito Santo e a (...) recuperação da alegria da minha salvação!

O Cordeiro de Deus pagou um preço muito alto para que nossos pecados pudessem ser perdoados e lavados. O preço foi o seu sangue, a sua morte, o tomar sobre si os nossos pecados. "Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fossemos feitos justiça de Deus" (II Coríntios 5:21). Este mesmo sangue que nos lava e nos salva na hora em que aceitamos a Cristo como Salvador, nos perdoa e purifica dos nossos pecados confessados, dia após dia (I João 1:9). "Seja Bendito o Cordeiro" deve ser o nosso cântico todos os dias da nossa vida. Um dia, pelo sangue salvador de Jesus, também estaremos com as multidões que proclamam: "Ao que está sentado sobre o trono, e ao cordeiro, seja o louvor e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos" (Apocalipse 5:13).

O autor deste hino muito cantado pelos cristãos brasileiros foi Éden Reeder Latta. A única informação que temos sobre este autor é que nasceu em 1839. Provavelmente, o hino apareceu pela primeira vez na coletânea Sacred Songs and Solos (Cânticos e Solos Sacros) nº. 396, de Sankey em 1881. Seu título inicial foi The Blood of the Lamb (O Sangue do Cordeiro). Esta coletânea indica que a melodia é um arranjo de H. S. Perkins. Assim, presumidos que seja da mesma data.

A excelente adaptação deste hino, feita em 1914, é uma das quase 200 produções do dinâmico evangelista e hinista Henry Maxwell Wright. Como muitas outras, foi incluída em quase todos os hinários evangélicos brasileiros.
.
Bibliografia: Wyrtzen, Don - Fugue on Forgiveness: Musician Looks at the Psalms, Grand Rapids, MI, Zondervan Publishing House, 1988, p. 231.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

038 - O Senhor é Rei

Proclamei a todo o mundo que o Senhor é Rei!
Proclamai! Proclamai!
Proclamei que suave e doce é Sua santa lei!
Proclamai! Proclamai!
Proclamai como Ele se chama Salvador Jesus,
Como Ele por nós morreu na ensangüentada cruz,
Como Ele - o Cordeiro - sobre o trono está
O Deus de toda graça, que de graça tudo dá.

Proclama! a todo o mundo
que o Senhor é Rei!
Proclamai! Proclamai!
Proclama! que suave e doce
é Sua santa lei!
Proclamai! Proclamai!

Proclamei que reina em graça nosso Salvador!
Proclamei! Proclamei!
Que por cetro de Seu reino ele tem o amor!
Proclamei! Proclamei!
Anunciei aos tristes que Ele vive lá;
E e todos os cansados que descanso Ele dá;
Contei aos pecadores que Ele veio salvar,
E a todos os cativos que Ele os pode libertar.

Proclamei que Ele, do céu em breve descerá!
Proclamei! Proclamei!
E com todos os Seus santos aparecerá!
Proclamei! Proclamei!
Que, sem demora, venham todos se render
E, com amor, em tudo e Cristo obedecer
Que estejam todos prontos quando Ele voltar,
E alegres, naquele dia, "Rei dos reis", o aclamar

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

037-Cristo prá mim

037-Cristo prá mim

"... e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho,
nos purifica de todo o pecado."
(1 João 1:7)
Letra: Herbert H. Booth, 1886
Música: Thomas H. Bayley
Tradução: H.M.W.
CRISTO PRA MIM                        CLEANSING FOR ME
1
Oh! que descanso em Jesus encontrei!
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!
Oh! que tesouros infindos achei!
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!
'Scolham os outros o mundo pra si.
Busquem riquezas, delicias aqui;
Eu acolherei, ó Jesus, sempre a Ti!
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!


2
Quer na aflição, na doença ou na dor:
Cristo p’ra mim! Cristo p'ra mim!
Quer na saúde, na força ou vigor;
Cristo p’ra mim! Cristo p'ra mim!
Sempre ao meu lado pra me socorrer,
Com Seu amor, sim, e com Seu poder;
Em cada transe pronto a me valer;
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!

3
No dia amargo da perseguição:
Cristo p’ra mim! Cristo p’ra mim!
Nas duras provas e na tentação:
Cristo p’ra mim! Cristo p’ra mim!
Ele, o pecado e o mundo venceu
Quando, por mim, no Calvário morreu;
E da vitória a certeza me deu;
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!



4
Quando no vale da morte eu entrar,
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!
Quando perante meu Deus m’encontrar:
Cristo p'ra mim! Cristo p’ra mim!
Só no Teu sangue confio, Senhor,
Só no Teu sempre imutável amor!
Inda outra vez cantarei, Salvador:
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!

1
Lord, through the blood of the Lamb that was slain,
Cleansing for me, cleansing for me;
From all the guilt of my sins now I claim
Cleansing from Thee, cleansing from Thee.
Sinful and black though the past may have been,
Many the crushing defeats I have seen,
Yet on Thy promise, O Lord, I now lean,
Cleansing for me, cleansing for me.

2
From all the sins over which I have wept,
Cleansing for me, cleansing for me;
Far, far away by the blood-current swept,
Cleansing for me, cleansing for me;
Jesus, Thy promise I dare to believe,
And as I come Thou wilt surely receive,
That over sin I may never more grieve,
Cleansing for me, cleansing for me.




3
From all the doubts that have filled me with gloom,
Cleansing for me, cleansing for me;
From all the fears that would point me to doom,
Cleansing for me, cleansing for me;
Jesus, although I may not understand,
In childlike faith now I stretch forth my hand,
And through Thy Word and Thy grace I shall stand,
Cleansed by Thee, cleansed by Thee.

4
From all the care of what men think or say,
Cleansing for me, cleansing for me;
From ever fearing to speak, sing or pray,
Cleansing for me, cleansing for me;
Lord, in Thy love and Thy power make me strong
That all may know that to Thee I belong;
When I am tempted, let this be my song,
Cleansing fo

domingo, 18 de fevereiro de 2018

036-O exilado

036-O exilado

Letra : Justus Henry Nelson
Música: Stephen Collins Foster
O EXILADO
THE SWANEE RIVER
(Old Folks at Home)
- Letra original -

1
Da linda pátria estou bem longe;
Cansado estou;
Eu tenho de Jesus saudade,
Oh, quando é que eu vou?
Passarinhos, belas flores,
Querem m'encantar;
São vãos terrestres esplendores,
Mas contemplo o meu lar.

2
Jesus me deu a Sua promessa;
Me vem buscar;
Meu coração está com pressa,
Eu quero já voar.
Meus pecados foram muitos,
Mui culpado sou;
Porém, Seu sangue põe-me limpo;
Eu para pátria vou.

3
Qual filho de seu lar saudoso,
Eu quero ir;
Qual passarinho para o ninho,
Pra os braços Seus fugir;
É fiel - Sua vinda é certa,
Quando... Eu não sei.
Mas Ele manda estar alerta;
Do exílio voltarei.

4
Sua vinda aguardo eu cantando;
Meu lar no céu;
Seus passos hei de ouvir soando
Além do escuro véu.
Passarinhos, belas flores,
Querem m'encantar;
São vãos terrestres esplendores,
Mas contemplo o meu lar.

1
Way down upon the Swanee River,
far, far away.
That's where my heart is turning ever.
That's where the old folks stay.
All up and down the whole creation,
sadly I roam,
Still longing for the old plantation,
and for the old folks at home.

2
All the world is sad and dreary,
everywhere I roam,
Oh! darkeys, how my heart grows weary,
far from the old folks at home.
All 'round the little farm I wandered
when I was young,
Then many happy days I squandered,
many a song I sung.

3
When I was playing with my brother
happy was I.
Oh! take me to my kind old mother,
there let me live and die.
All the world is sad and dreary,
everywhere I roam,
Oh! darkeys, how my heart grows weary,
far from the old folks at home.

4
One little hut among the bushes,
one that I love,
Still sadly to my mem'ry rushes,
no matter where I rove.
When will I see the bees a-humming'
all around the comb?
When will I hear the banjo strummin'
down in my good old home?

5
All the world is sad and dreary,
everywhere I roam,
Oh, darkeys, how my heart grows weary,
far from the old folks at home.
História

Stephen Collins Foster escreveu "Old Folks at Home" em 1851, na cidade de Pittsburgh, estado americano da Pennsylvania. Muitos têm afirmado que esta canção é ofensiva e racista pelo fato de haver sido elaborada com palavras do dialeto utilizado pelos escravos, como se fosse um negro cantando com saudades da sua família que havia sido deixada na velha plantação (de old plantation).

Seja como for, todo o texto foi produzido com expressões nostálgicas, passando a impressão de que alguém está longe de casa e separado da sua família.

Apesar das controvérsias, havendo muitos que insistem em afirmar que o texto é racista, a melodia "The Swanee River" (Old folks at home), tal como foi escrita e composta por Stephen C. Foster, com algumas pequenas correções, foi adotada como a canção oficial do estado da Flórida no dia 25 de Maio de 1935.

Stephen Collins Foster (04/071826 a 13/01/1864), conhecido como o "pai da música americana", foi um proeminente compositor americano do século XIX. Suas canções, incluindo "Oh! Susanna", "Camptown Races", "My Old Kentucky Home", "Old Black Joe", "Beautiful Dreamer" e "Old Folks at Home" ("Swanee River") permanecem populares mais de 150 anos depois de sua composição.

Os metodistas contribuíram para a hinódia brasileira através de missionários como Justus Henry Nelson e Benjamin Nind, que cooperaram com a tradução dos versos em inglês para o português.

No caso deste hino "O Exilado", a situação em que se encontrava, longe de casa, em terra estranha, com saudade da família, etc, seria no mínimo razoável que se lembrasse de uma música folclórica como esta. O missionário Justus Henry Nelson fez a adaptação necessária da melodia rural "Old Folks at home", de Stephen Collins Foster para produzir: "Da linda pátria estou mui longe...", tendo sido aproveitada tanto no antigo "Cantor Cristão" (número 484) como no "Salmos e Hinos" (número 592).

sábado, 17 de fevereiro de 2018

035 O Grande Amor

O grande amor de meu Jesus
Por mim morrendo sobre a cruz
Da perdição, pra me salvar
Quem poderá contar?

Quem pode o Seu amor contar?
Quem pode o Seu amor contar?
O grande amor do Salvador
Quem poderá contar?

O cálice que Jesus bebeu
A maldição que padeceu
Tudo por mim, p'ra me salvar
Quem poderá contar?

A zombaria tão cruel
A cruz sangrenta, o amargo fel
Que Ele sofreu pra me salvar
Quem poderá contar?

Incomparável Salvador!
Quão inefável Teu amor!
Quão impossível de sondar!
Imenso e sem par!

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

034 Milicias de Jesus

Milhares de milhares em refulgente luz!
Eis os guerreiros santos, milícia de Jesus!
Completa, sim, completa sua longa luta aqui
Com Cristo, seu Senhor e Rei, vão descansar ali

Que doces sinfonias encham a terra e o céu!
Que coros d'aleluias rompem além do véu!
E que chegou o dia, o dia triunfal
E Cristo reinará, enfim, em glória divina!

Então, não há mais choro, nem há mais tentação
As dores, as tristezas p'ra sempre fugirão
E os remidos todos verão seu Salvador
E transformados, todos, serão como o Senhor

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

033-Com tua mão

033-Com tua mão

"... tu me sustentaste pela minha mão direita."
(Salmos 73:23)

Letra : Fanny Crosby, 1879
Música: Hubert P. Main, 1880
Tradução: H.M.W.


COM TUA MÃO SEGURAHOLD THOU MY HAND
1
Com Tua mão,
segura bem a minha,
Pois eu tão fraco sou,
ó Salvador!
Que não me atrevo
a dar nem um só passo
Sem Teu amparo,
meu Jesus Senhor!

2
Com Tua mão,
segura bem a minha,
E mais e mais
unido a Ti, Jesus.
Ó traze-me,
que nunca me desvie
De Ti, Senhor,
a minha vida e luz!

3
Com Tua mão,
segura bem a minha,
E, pelo mundo,
alegre seguirei:
Mesmo onde as sombras
caem mais escuras
Teu rosto vendo,
nada temerei.

4
E, se chegar
à beira desse rio,
Que Tu por mim
quiseste atravessar,
Com Tua mão
segura bem a minha,
E sobre a morte
eu hei de triunfar.

5
Quando voltares
esses céus rompendo,
segura bem
a minha mão, Senhor,
E, meu Jesus,
ó leva-me contigo,
Para onde eu goze
Teu eterno amor.
1
Hold Thou my hand;
so weak I am, and helpless,
I dare not take
one step without Thy aid;
Hold Thou my hand;
for then, O loving Savior,
No dread of ill
shall make my soul afraid.

2
Hold Thou my hand,
and closer, closer draw me
To Thy dear self—
my hope, my joy, my all;
Hold Thou my hand,
lest haply I should wander,
And, missing Thee,
my trembling feet should fall.

3
Hold Thou my hand;
the way is dark before me
Without the sunlight
of Thy face divine;
But when by faith
I catch its radiant glory,
What heights of joy,
what rapturous songs are mine!

4
Hold Thou my hand,
that when I reach the margin
Of that lone river
Thou didst cross for me,
A heavenly light
may flash along its waters,
And every wave
like crystal bright shall be.
HISTÓRIA

A descrição da maneira como surgiu a inspiração deste hino, em 1879, não pode ser melhor do que nas próprias palavras da sua autora, a incomparável poeta e hinista que perdeu a visão com apenas seis semanas de vida, Fanny Crosby:

"Por um bom período de tempo, antes de eu escrever este hino, tudo parecia triste prá mim. Na realidade, foi um experiência fora do comum, porque eu sempre fui uma pessoa feliz e contente. E assim, na minha fraqueza humana, eu clamei em oração: "Querido Senhor, segura a minha mão". Quase que instantaneamente, a mais doce paz, proveniente de uma perfeita convicção, voltou ao meu coração e minha gratidão por esta prova de que minha oração foi respondida, brotou naturalmente como um cântico nas linhas deste hino."

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

032 Meu Cristo! Meu Cristo!

Quem do céu por mim desceu,
Tudo em meu lugar sofreu,
E por mim na cruz morreu?
Foi Cristo! Foi Cristo!

Os meus pecados expiou:
De toda a pena me livrou!
Da maldição me resgatou,
Meu Cristo! Meu Cristo!

Quem me trouxe, qual pastor,
Seu cordeiro com amor?
Quem quis ser meu Salvador?
Foi Cristo! Foi Cristo!

Quem com branda compaixão,
Derreteu meu coração?
Deu-me plena salvação?
Foi Cristo! Foi Cristo!

Quem diz: "Não te deixarei,
Nem te desampararei,
Sempre te socorrerei?"
É Cristo! E Cristo!

Quem é digno de louvor?
Quem merece o meu amor?
É Jesus, meu Salvador,
Meu Cristo! Meu Cristo!

As minhas trevas dissipou!
Minha alma enferma Ele sarou!
Meu coração Ele alegrou!
Meu Cristo! Meu Cristo!

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

031 - Gloria ao meu Jesus

Por mim sofreu o Salvador
Glória! Glória ao meu Jesus!
Louvai, comigo, ao Redentor!
Glória! Glória ao meu Jesus!

Jesus! Jesus! Ó Salvador
É doce o nome do Senhor
Abraça -me com santo amor
Glória! Glória ao meu Senhor

C'oa meus pecados carregou
Glória! Glória ao meu Jesus!
E sobre a cruz me resgatou
Glória! Glória ao meu Jesus!

Eu sei que perdoado estou
Glória! Glória ao meu Jesus!
E, com certeza, ao céu eu vou!
Glória! Glória ao meu Jesus!

E, quando a guerra aqui findar
Glória! Glória ao meu Jesus!
No céu, melhor, eu vou cantar
Glória! Glória ao meu Jesus

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

030 Não sou meu

Não sou meu! Por Cristo salvo,
Que por mim morreu na cruz,
Eu confesso alegremente,
Que pertenço ao bom Jesus.

Não sou meu! Oh! Não sou meu!
Bom Jesus, sou todo Teu!
Hoje mesmo e para sempre,
Bom Jesus, sou todo Teu!

Não sou meu! Por Ele remido, Quando o sangue derramou;
Na Sua graça confiando,
Que minh'alma resgatou.

Jamais meu! A Ti confio
Tudo quanto chamo meu;
Tudo nas Tuas mãos entrego;
Meu Senhor, sou todo Teu!

Jamais meu! Ó santifica
Tudo quanto sou, Senhor!
Da vaidade e da soberba,
Vem livrar-me, Salvador.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

029-O precioso sangue

029-O precioso sangue

"porque eu sei em quem tenho crido,
e estou certo de que é poderoso para guardar
o meu depósito até àquele dia."
(2 Timóteo 1:12)
Letra: Frances R. Havergal, 1874;
Música: Bullinger, Ethelbert W. Bullinger, 1874
Tradução: Henry Maxwell Wright (H.M.W.)

O PRECIOSO SANGUEI AM TRUSTING THEE
1
Oh! que precioso sangue,
Meu Senhor verteu,
Quando, para resgatar-nos,
Padeceu!

2
Oh! que precioso sangue,
Sangue de Jesus,
Que por nós, foi derramado
Sobre a cruz!

3
Oh! que precioso sangue,
Sangue remidor!
Sim, com este nos remiste,
Redentor!

4
Oh! que precioso sangue,
Sangue expiador!
Eis o que da pena !ivra
O malfeitor!

5
Oh! que precioso sangue,
Purificador!
Que de toda a mancha lava
O pecador!

6
Oh! que precioso sangue,
Fala-nos de paz;
Tudo quanto a lei exige,
Satisfaz!

7
Oh! que precioso sangue.
Por Ele entrarei
Sem receio, na presença
Do meu Rei!

8
Oh! que precioso sangue,
Do bom Salvador!
Hoje, a todos manifesta
Seu amor!
1
I am trusting Thee, Lord, Jesus,
Trusting only Thee;
Trusting Thee for full salvation,
Great and free.

2
I am trusting Thee for pardon;
At Thy feet I bow;
For Thy grace and tender mercy,
Trusting now.

3
I am trusting Thee for cleansing
In the crimson flood;
Trusting Thee to make me holy
By Thy blood.

4
I am trusting Thee to guide me;
Thou alone shalt lead;
Every day and hour supplying
All my need.

5
I am trusting Thee for power,
Thine can never fail;
Words which Thou Thyself shalt give me
Must prevail.

6
I am trusting Thee, Lord Jesus;
Never let me fall;
I am trusting Thee forever,
And for

sábado, 10 de fevereiro de 2018

028-Deus vai te guiar

028-Deus vai te guiar

"Vinde a mim, todos os que estais cansados
e oprimidos e eu vos aliviarei."
(Mateus 11:28)
Letra : Birdie Bell, 1901
Música: William J. Kirkpatrick
Tradução: Frida Vingren


DEUS VAI TE GUIARJESUS UNDERSTANDS!
1
Andas carregado
de tristeza e dor,
Sem nenhum auxílio,
nem um Salvador?
Ouve a mensagem
de teu bom Jesus,
E tem mais coragem,
leva a tua cruz.

Coro
Deus vai te guiar
com Sua forte mão;
Podes descansar
na tribulação;
Seja tua vida
livre de pesar;
Em tristeza e lida
Deus vai te guiar.


2
Toda carga por ti,
Ele quer levar;
Alma dolorida,
ouve o Seu falar;
Senda espinhosa
Ele já andou,
Morte afrontosa
por ti suportou.

3
Se estás tentado,
Deus te ajudará,
Sempre confiando,
te libertará;
As pisadas segue
do teu Salvador,
Crendo em Deus, prossegue,
seja como for.
1
Bowed beneath your burden,
is there none to share?
Weary with the journey,
is there none to care?
Courage, wayworn traveler,
heed your Lord’s commands,
There’s a thought to cheer you,
Jesus understands.

Refrain
Yes, He understands,
all His ways are best.
Hear, He calls to you,
“Come to Me and rest.”
Leave the unknown future
in the Master’s hand,
Whether sad or joyful,
Jesus understands.


2
Every heavy burden,
He will gladly share,
Are you sad and weary?
Jesus has a care;
Well He knows the pathway
o’er life’s burning sands,
Courage, fainting pilgrim,
Jesus understands.

3
Though temptation meet you,
Jesus can sustain,
Life has vexing problems
which He can explain;
Serve Him where He sends you,
though in distant lands,
Do not doubt or question,
Jesus understands.

4
Weary heart, He calls you,
“Come to Me and rest,”
Does the path grow rugged?
yet His way is best;
Leave the unknown future
in the Master’s hands,
Whether sad or joyful,
Jesus understands.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

027-Amor que vence

027-Amor que vence

"Mas eu confio na tua benignidade."
(Salmos 13:5)

Letra : George Matheson
Música: Albert Lister Peace
Tradução: Henry Maxwell Wright (H.M.W.)


AMOR QUE VENCEO LOVE THAT WILT NOT LET ME GO
1
Amor, que por amor desceste!
Amor, que por amor morreste!
Ah! quanta dor não padeceste,
Meu coração pra conquistar,
E meu amor ganhar!

2
Amor, que com amor seguias!
A mim, que sem amor Tu vias!
Oh! quanto amor por mim sentias,
Meu Salvador, meu bom Jesus,
Sofrendo sobre a cruz!

3
Amor, que tudo me perdoas!
Amor, que até mesmo abençoas!
Um réu de quem Te afeiçoas!
Por Ti vencido, ó Salvador,
Eis-me aos Teus pés, Senhor!

4
Amor, que nunca, nunca mudas,
Que nos Teus braços me seguras,
Cercando-me de mil venturas!
Aceita agora, Salvador.
O meu humilde amor!
1
O Love that wilt not let me go,
I rest my weary soul in thee;
I give thee back the life I owe,
That in thine ocean depths its flow
May richer, fuller be.

2
O light that followest all my way,
I yield my flickering torch to thee;
My heart restores its borrowed ray,
That in thy sunshine’s blaze its day
May brighter, fairer be.

3
O Joy that seekest me through pain,
I cannot close my heart to thee;
I trace the rainbow through the rain,
And feel the promise is not vain,
That morn shall tearless be.

4
O Cross that liftest up my head,
I dare not ask to fly from thee;
I lay in dust life’s glory dead,
And from the ground there blossoms red
Life that shall endless be.
HISTÓRIA

Sobre o surgimento do hino AMOR QUE VENCE, o autor escreveu:

"Ele não foi composto. Veio, como inspiração. Lembro-me muito bem da ocasião. Foi em Innelan, numa noite de junho de 1882. Eu tinha sofrido uma perda enorme e estava muito deprimido. Enquanto estava sentado ali acabrunhado, as palavras brilharam na minha mente como relâmpago, e em poucos minutos as quatro estrofes estavam completas. Parecia que elas tinham sido ditadas a mim por mão invisível, completas em linguagem e ritmo."


O poeta não nos conta a fonte do seu sofrimento, mas relata que a ocasião foi no dia do casamento da sua amada irmã, que sempre fora sua mão direita. Aprendeu grego, latim e hebraico, para melhor ajudá-lo nos seus estudos teológicos. Esta irmã continuou a colaborar com ele durante toda sua vida.

Era ela quem o guiava nas suas visitas pastorais. Bailey achava que o casamento dela trouxe a Matheson a lembrança de uma outra perda, a da sua noiva que o deixou, tantos anos antes, quando soube que ele se tornaria completamente cego, e que o intenso sofrimento de estar na escuridão da
sua cegueira, totalmente só, foi o que afligiu o autor.

O hino apareceu pela primeira vez em 1883, em Life and Works (Vida e Obra), o periódico mensal da Igreja da Escócia. Em 1885, foi incluído no Scottish Hymnal (Hinário Escocês).

Matheson faleceu repentinamente em 28 de agosto de 1906. Certamente, naquela hora, houve júbilo inexorável para aquele servo de Deus, ao deixar, para sempre, este mundo de escuridão para a luz do rosto do seu Salvador!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

026-A formosa Jerusalém

026-A formosa Jerusalém

"E tinha a glória de Deus. A sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima,
como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente."
(Apocalipse 21:11)

Letra e Música: Emílio Conde



1
Quão glorioso, cristão, é pensares
Na cidade que não tem igual,
Onde os muros são de puro jaspe.
E as ruas de ouro e cristal;
Pensa como será glorioso
Ver-se a triunfal multidão.
Que cantando, aguarda a chegada
Dos que vencem a tribulação.

2
Pensa como será glorioso
Ver o rio da vida e luz,
Cujas margens juncadas de lírios,
São a glória de nosso Jesus;
Haverá lá perpétua aurora,
Pois Deus mesmo a alumiará;
E o Cordeiro, com Sua esposa,
Noite e dia resplandecerá.

3
Pensa na celestial melodia
Que a terra encherá, de Beulá;
E das harpas a doce harmonia
Ao passar o Jordão se ouvirá.
Mesmo em dores que levam à morte,
Sê constante, não voltes atrás,
Tua herança, tua eterna sorte,
É Jesus, o Fiel, o Veraz.

4
Se é glorioso pensar nas grandezas,
Nos prazeres que acodem aqui,
Qual será desfrutar as riquezas
Que esperam os salvos, ali?
Os encantos do mundo não podem
Ofuscar essa glória dalém;
Não almejas viver, ó amigo,
Nessa formosa Jerusalém?

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

025 Jesus, Tu és bom

Meu Jesus, Tu és bom;
Tu és tudo pra mim!
Foste morto, mas vives em mim;
Tu mereces louvor,
Ó Cordeiro de Deus!
Tu és tudo, sim, tudo p’ra mim!
2
Quero a Ti dar louvor,
Pois és Rei sobre reis;
Tu és tudo, mas nada eu sou;
Enche meu coração
De ternura e paz;
Honra eterna e glória Te dou.
3
O Teu nome é amor,
Pois Tu amas a mim,
E eu quero andar neste amor;
Triunfante estou,
Confiando em Ti,
Meu Jesus, grande Consolador.
4
Ó Ungido de Deus,
Trazes paz e perdão;
Salvação, vida, tens para os Teus;
Que mensagem do céu
E de transformação,
Enviada do trono de Deus!

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

024 Poder Pentecostal

No Pentecostes sucedeu
O que Jesus falou,
Pois de repente lá do céu
Um vento assoprou,
Que veio a casa toda encher
E os corações com mui poder.
Poder, poder, poder pentecostal.
Ó vem nos Inflamar,
Também nos renovar;
Ó vem, sim, vem, ó chama divinal,
Teus servos batizar.
2
Em cada um veio repousar
A preciosa luz,
O Preceptor que veio ficar
Co’os servos de Jesus;
Foi o fogo santo do Senhor.
Que os encheu com Seu vigor.
3
E começaram a falar, Repletos de poder,
Em outras línguas exaltar
Ao que mandou trazer
Os ricos dons do Seu amor
E o poder consolador.
4
E quem deseja receber
Esta água salutar.
Que é prometida ao que crer
E humilde esperar,
Perseverando em oração,
Terá poder seu coração.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

023 Gloria a Jesus

Cantam os santos com fervor,
A quem por mim foi imolado,
Na cruz, sofrendo o meu pecado.

Glória a Jesus!
Glória a Jesus!
Glória a Jesus, o Salvador!

Deus é o Justificador
De quem crer no Seu Enviado
Sim, no Seu Filho mui amado.

Do Seu Pai recebeu louvor,
E com poder foi exaltado,
Por isso é glorificado.

Do "sangue purificador",
Eu quero sempre ter lembrança,
E nEle ter mais confiança.

Por nós, na cruz, sofreu a dor,
Com sangue fomos nós comprados,
E do pecado resgatados.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

022 Ceia do Senhor

Em nossa alma nós tomamos.
O Teu corpo, ó Jesus!
Como oferta voluntária,
Que nos deste lá na cruz.
Como pão do céu desceste,
Vamos a Ti receber;
Pois unidos ao Teu corpo,
Nós queremos, sim, viver.
2
Em figura, o Teu sangue
Nós bebemos, ó Senhor,
Pois só nEle há virtude
P’ra salvar o pecador.
3
Vem, concede à Tua Igreja
O perdão do Teu amor,
Para que nos dois emblemas,
Contemplemos-Te, Senhor.
4
Ó Senhor, por Teu Espírito
Em nós vem já residir,
Pra Teu corpo e Teu sangue
Nós podermos discernir.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

021-Gloriosa aurora

021-Gloriosa aurora

"Eu sou a raiz e a geração de Davi,
a resplandecente estrela da manhã."
(Apocalipse 22:16)

Letra e Música: Philip Nicolai, 1597
Harmonia: Johann S. Bach, cerca de 1731
Tradução: Otto Nelson (O.N.)


GLORIOSA AURORAO MORNING STAR, HOW FAIR AND BRIGHT 
1
Nasceu de Deus, o Filho;
Que belo dia e de luz,
No qual p'ra nós desceu Jesus,
Do céu mostrando o trilho.
Quantos santos hoje lembram,
E relembram a história
De Jesus, o Rei da Glória!

2
Nasceu Jesus lá em Belém,
Trazendo-nos o sumo bem
Do céu - a liberdade;
Nos concedeu perfeita paz,
Consolação que satisfaz
Por toda a eternidade!
Como fomos desgarrados,
Desviados e perdidos!
Hoje somos redimidos!

3
Conosco Cristo habitará
Com Seu poder nos velará,
Nos dando livramento;
E sempre há de nos guiar
Pois Sua graça vai nos dar
Em todo o sofrimento,
Scuta: Luta sempre forte.
Té a morte, pois ajuda
Tens em Cristo, que não muda!

4
Jesus desceu p'ra nos salvar,
O sol da graça vem brilhar,
Alegres jubilemos;
Jesus, ó nosso bom Pastor,
Vem nos guiar com Teu amor;
Ali nós pertencemos;
Almas salvas, perdoadas,
Libertadas hoje oram,
Reverentes Te adoram!
1
O Morning Star, how fair and bright!
Thou beamest forth in truth and light,
O Sovereign meek and lowly!
Thou Root of Jesse, David’s Son,
My Lord and Master, Thou hast won
My heart to serve Thee solely!
Thou art holy,
Fair and glorious, all victorious, rich in blessing
Rule and might over all possessing.

2
Thou heavenly Brightness! Light divine!
O deep within my heart now shine,
And make Thee there an altar!
Fill me with joy and strength to be
Thy member, ever, joined to Thee
In love that cannot falter;
Toward Thee longing
Doth possess me; turn and bless me; here in sadness
Eye and heart long for Thy gladness!
(Letra original)

WIE SCHÖN LEUCHTET DER MORGENSTERN

Text & Musik: Philip Nicolai, 1597

1
Wie schön leuchtet der Morgenstern
Voll Gnad und Wahrheit von dem Herrn,
Die süße Wurzel Jesse!
Du Sohn Davids aus Jakobs Stamm,
Mein König und mein Bräutigam,
Hast mir mein Herz besessen,
Lieblich, freundlich,
Schön und herrlich, groß und ehrlich,
Reich von Gaben,
Hoch und sehr prächtig erhaben!

2
Ei meine Perl’, du werte Kron,
Wahr’ Gottes und Mariens Sohn,
Ein hochgeborner König!
Mein Herz heißt dich ein Himmelsblum;
Dein süßes Evangelium
Ist lauter Milch und Honig.
Ei mein Blümlein,
Hosianna! Himmlisch Manna,
Das wir essen,
Deiner kann ich nicht vergessen!

3
Geuß sehr tief in das Herz hinein,
Du leuchtend Kleinod, edler Stein,
Mit deiner Liebe Flamme,
Daß ich, o Herr, ein Gliedmaß bleib
An deinem auserwählten Leib,
Ein Zweig an deinem Stamme.
Nach dir wallt mir,
Mei Gemüte,
Ewig Güte, bis es findet
Dich, des Liebe mich entzündet.

4
Von Gott kommt mir ein Freudenschein,
Wenn du mich mit den Augen dein
Gar freundlich tust anblicken.
O Herr Jesu, mein trautes Gut,
Dein Wort, dein Geist, dein Leib und Blut
Mich innerlich erquicken.
Nimm mich freundlich
In dein Arme, Herr erbarme
Dich in Gnaden;
Auf dein Wort komm ich geladen.

5
Herr Gott Vater, mein starker Held,
Du hast mich ewig vor der Welt
In deinem Sohn geliebet.
Dein Sohn hat mich ihm selbst vertraut,
Er ist mein Schatz, ich seine Braut,
Drum mich auch nichts betrübet.
Eia, eia,
Himmlisch Leben wird er geben
Mir dort oben!
Ewig soll mein Herz ihn loben.

6
Zwingt die Saiten in Cythara
Und laßt die süße Musika
Ganz freudenreich erschallen,
Daß ich möge mit Jesulein,
Dem wunderschönen Bräutgam mein,
In steter Liebe wallen!
Singet, springet,
Jubilieret, triumphieret,
Dankt dem Herren;
Groß ist der König der Ehren!

7
Wie bin ich doch so herzlich froh,
Daß mein Schatz ist das A und O.
Der Anfang und das Ende.
Er wird mich doch zu seinem Preis
Aufnehmen in das Paradeis;
Des klopf ich in die Hände.
Amen, Amen,
Komm, du schöne Freudenkrone,
Bleib nicht lange,
Deiner wart’ ich mit Verlangen
HISTÓRIA

Philipp Nicolai foi Pastor de Unna, cidade da Alemanha, na época em que a peste bubônica aterrorizou a Europa. Foi depois de assistir 30 covas sendo cavadas em apenas um dia, que ele teve a inspiração de escrever as palavras deste hino. Apareceram pela primeira vez na sua obra intitulada: "Freudenspiegel des ewigen Lebens" (Maravilhoso espelho da Vida Eterna), de 1599. O título original deste hino é: Wie schön leuchtet der Morgenstern.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

020-Olhai pro Cordeiro de Deus


020-Olhai pro Cordeiro de Deus

"Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo"
(João 1:29)

Música: James M. Black
Tradução: Hedwig Elisabeth Nordlung (H.E.N.)


OLHAI PRO CORDEIRO DE DEUSLOOK TO LAMB OF GOD
1
Livres de pecado vós quereis ficar?
Olhai p'ra o Cordeiro de Deus!
Ele morto foi na cruz, p'ra vos salvar;
Olhai p'ra o Cordeiro de Deus!

Côro
Olhai p’ra o Cordeiro de Deus,
Olhai p’ra o cordeiro de Deus,
Porque só Ele vos pode salvar.
Olhal p’ra o Cordeiro de Deus!

2
Se estais tentados, em hesitação,
Olhai p'ra o Cordeiro de Deus!
Ele encherá o vosso coração.
Olhai p'ra o Cordeiro de Deus!

3
Se estais cansados e sem mais vigor,
Olhai pra o Cordeiro de Deus!
Ele vos quer dar Seu divinal amor,
Olhai p’ra o Cordeiro de Deus!

4
Se na vossa senda sombras vêm cair,
Olhai pra o Cordeiro de Deus!
Ele, com Sua graça, tudo quer suprir.
Olhai p’ra o Cordeiro de Deus!
1
If you from sin are longing to be free,
Look to the Lamb of God.
He to redeem you died on Calvary,
Look to the Lamb of God.

Refrain
Look to the Lamb of God.
Look to the Lamb of God.
For He alone is able to save you,
Look to the Lamb of God.


2
When Satan tempts and doubts and fears assail,
Look to the Lamb of God.
You in His strength shall over all prevail,
Look to the Lamb of God.

3
Are you aweary?Does the way seem long?
Look to the Lamb of God.
His love will cheer and fill your heart with song.
Look to the Lamb of God.

4
Fear not when shadows on your pathway fall,
Look to the Lamb of God.
In joy or sorrow Christ is all in all.
Look to the Lamb of God.